Saudades da Borapirá

Um pedido de ajuda ao guru e autor do livro 100 Praias que Valem a Viagem, Riq Freire, me levou até Tatuamunha. Eu queria uma semana pé na areia e consegui muito mais do que isso. Consegui descobrir um destes lugares que se eu pudesse voltava todo ano. Na mesma época. Com as mesmas pessoas. Para fazer as mesmas coisas.

Tatuamunha é uma pequena vila, perto da mais famosa Praia do Toque, em Alagoas, mas não muito longe da fronteira com Pernambuco. Ali ficam duas pousadas: a Beijupirá, pousadinha de charme que não aceita crianças e que faz sucesso entre casais em lua de mel; e a Borapirá, dos mesmos donos, que  foi criada a pedidos destes casais em lua de mel que um dia procriam e constroem família, mas continuam merecendo um lugar ao sol e uma boa caipirinha de caju.

Sol se pondo entre os coqueiros.

O sol se pondo entre os coqueiros,...

A lua cheia

...a lua cheia...

... e o sol nascendo.

... e o sol nascendo.

A idéia inicial era irmos eu, meu marido e minha filha, mas se juntaram a nós mais dois casais, com dois filhos cada. Chegamos numa segunda-feira e a pousada, a praia e a atenção carinhosa do Dido, do Rodrigo e do Antônio eram só para gente.  Faço questão de chamá-los pelo nome porque era assim que nos chamavam desde quando chegamos.

“Bom dia, Aline. A Antônia vai querer frutas?” e apareciam na mesa do café da manhã o prato de frutas variadas,  a tapioca quentinha, o pão de queijo, as panquequinhas e as surpresas feitas a cada dia. As crianças tinham pratos especiais, com aquelas fotos de cachorro em grande angular. Minha filha ria para o cãozinho divertido enquanto comia melancia e eu pedia para trazerem mais um pedaço de bolo de maracujá. Não é assim que deveriam começar todos os dias?

O simpático (e espaçoso) chalé.

O simpático (e espaçoso) chalé.

Dali, íamos para a praia. Antes de mais nada deixa eu explicar que são duas praias. A praia da maré baixa, com água transparente pelo tornozelo, por onde até uma criança de um ano pode andar (ou engatinhar) por quilômetros sem a menor preocupação e onde adultos podem ficam sentados suspirando para os coqueiros que se enfileiram na praia. E a praia da maré alta, de água escura por causa das algas, que roçam na sua perna quando você vai mergulhar.

A maré baixinha.

A maré baixinha.

Caminhando pelo mar.

As crianças caminham pelo mar...

...e pela areia.

...que tem horas que é quase só areia.

A água rasinha, mesmo longe da areia.

A água rasinha, mesmo longe da praia.

Eu já disse que a água fica rasinha?

Eu já disse que a água fica rasinha, rasinha?

Devo confessar que a praia da maré alta me empurrava para a piscina, onde eu pedia uma caipirinha e uma porção de pataniscas de bacalhau crocantes ou macaxeira frita.

As bóias (nossas e da pousada) na piscina.

As bóias (nossas e da pousada) na piscina.

Era aí que aparecia um bezerrinho ou cabritinho pastando para alegria das crianças. Tinha também um pônei em que elas podiam andar e uma arara que se achegava sem cerimônia e curtia com a gente o solzinho da tarde. Com disposição para andar um pouquinho, dava para ir até o centro de preservação do peixe-boi para vê-los se alimentarem daquela mesma alga que escurece a água do mar quando a maré sobe.

O passeio de pônei.

O passeio de pônei.

A visita ao peixe-boi.

A visita ao peixe-boi.

Tudo isso dá um soninho...

Tudo isso dá um soninho...

A atenção aos pequenos não pára por aí: a Borapirá tem um cantinho com brinquedos, incluindo velocípedes que fizeram muito sucesso, e um cardápio infantil preparado com muito carinho, que junto com a fome que a praia dá, fez até criança que é chata para comer devorar o prato.

A comida dos adultos também não fica para trás: desde combinações mais ousadas como camarão com roquefort e arroz de goiaba e bacon (um pouco enjoativo para o meu gosto pessoal, mas ainda assim saboroso), até pratos caseiros como sopinhas e bife acebolado com arroz e feijão, comemos muito bem todos os dias. Achamos um pouco caro, é verdade, para os padrões nordeste. Mas é de se esperar já que perto da pousada não existe nenhuma opção. Mas quer saber? Depois de voltar para a civilização e pagar a mesma coisa por uma comidinha bem mais ou menos, sem o visual ou o atendimento da Borapirá, achei o preço mais do que justo.

Mas e se bater o cansaço da boa vida da pousada e quiser variar? Fácil. O Rodrigo consegue o carro do pai para você alugar (nós fomos até a Barraca do Tibiro, comer deliciosos lagostins na manteiga, mas outras opções não faltam), o Antônio manda vir umas bicicletas ou qualquer um deles chama uma jangada para te levar para as piscinas naturais mais distantes.

A barraca do Tibiro...

A barraca do Tibiro...

...em outra praia, não muito longe da pousada (aqui já com a maré cheia).

...em outra praia, não muito longe da pousada (aqui já com a maré cheia).

Ou então, você deita na rede e pede mais uma, que a vontade de fazer qualquer coisa passa.

Mas nem tudo foram flores na Borapirá. Demorou uns 3 dias até que a água quente funcionasse bem e para todos. No meio de tantos coqueiros, ficamos dois dias sem água de côco e… Bom, foi isso. A verdade é que os proprietários compraram a pousada e ainda estão investindo para melhorar cada detalhe. Mas estão num ótimo caminho. A pousada já é charmosa e aconchegante, perfeita para famílias que sentem arrepios ao pensar em resorts cheios de turistas. As cadeiras de alimentação infantil já foram encomendadas e está sendo construído um cantinho maior para os pequenos, onde ficará um monitor para distraí-los e dar uma folguinha para os pais.

Quem sabe ano que vem eu não volto e conto outra vez como andam as coisas por lá?

Obs.: O transfer de todos os 3 casais foi feito pela empresa Costa Azul. Todos deram certo, menos o nosso da volta. Nossa sorte foi que tínhamos tempo, mas ainda assim, só pegamos o vôo para casa porque os proprietários (um português e uma brasileira muito simpáticos) mandaram chamar o Ricardo, que em 15 minutos estava lá para nos levar. Recomendo entrar em contato com ele para transfers ou passeios. É uma pena que, pelo menos por enquanto, ele só possa oferecer um carro.

11 comentários

Filed under Brasil, Viajar com filhos

11 responses to “Saudades da Borapirá

  1. Laura

    Que lugar lindo!
    Estava com saudades dos seus textos.
    bjs!

  2. Fabi

    Que delícia ler sobre nossa semana pé na areia… Quero tudo de novo!!!!

  3. Oi Aline!
    Desculpa a demora em lhe responder. Obrigada pelo comentário e pelos conselhos. Sabe, eu concordo 100% contigo, acho que essa questão é para ser resolvida com o coração. O problema é quando a mente não deixa o coração criar asas. O meu ainda é lagarta, mas não acho que demora muito para virar borboleta🙂
    Sabe a minha amiga que eu contei no post que está grávida? Pois é, são gêmeos! Felicidade dobrada! (e trabalho também, diga-se de passagem…)
    Queria aproveitar para dizer que adorei as fotos. Que lugar lindo e perfeito!
    Bjinhos aqui do Rio!

  4. Olá,
    Também fiquei na Borapirá este ano, mas fiquei também na Pousada do Toque que também é espetacular e as meninas foram super bem recebidas.
    Quanto ao transfer fizemos ida e volta com o Ricardo e foi tudo perfeito e até fomos com ele para Carneiros e ficamos no restaurante Beijupirá que vale muito a pena pois a praia é maravilhosa.
    Depois dá uma passada no meu blog //viajandocomfilhos.blog.terra.com.br
    Raquel

  5. Oi Aline,

    Estamos indo para a Borapirá pela primeira vez agora no 7 de setembro. Seu blog só reforça a nossa escolha.
    Você ainda tem o contato da empresa que faz o transfer? Vamos sair de Recife (o voo era bem mais barato que pra Maceió).

    abraço
    Carlos

    • asvoltasqueeudoupelomundo

      Ai, Carlos e Carla. Mil desculpas. Eu andei um pouco afastado do blog e não respondi a tempo. Espero que tenham tido um feriado incrível na Borapirá. Beijos. Aline

  6. Pingback: As melhores praias do Brasil com crianças: palavras de Blogueiros! « Viajando com Pimpolhos

  7. fran

    Ola vc tem idéia em média sobre o valores para um casal ficar com trans ida e volta e hospedagem na pousada borapira e comida alimentação um valor geral sem ser muito esp.
    Só para ter de base somando tudo ???
    Um abraço francine

  8. Nunca tinha escutado falar desse lugar e me surpreendeu!Lindíssimo…
    Parece que vocês se divertiram!!!!🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s