As muralhas de Ávila

Plaza de Santa Tereza

Plaza de Santa Tereza

“Isso é uma perdição!”, disse o espanhol simpático enfiando mais uma Yema de Santa Tereza na boca, cruzando comigo numa das praças charmosas de Ávila. Os docinhos em forma de gema de ovo, cobertos de açúcar, são mesmo dos melhores doces conventuais que eu já comi. Muitos lugares os vendem, mas os mais famosos são da La Flor de Castilla, que tem três filiais pela cidade: uma lojinha perto da Plaza del Mercado Chico, um café com delicatessen mais perto da Catedral e um café com mesinhas ao ar livre na ampla Plaza de Santa Tereza, entre a Igreja de São Pedro e a Porta de Alcázar, uma das nove portas da muralha.

Um dos nove portões da muralha

Um dos nove portões da muralha

Resistimos à tentação de entrar na cidade murada e seguimos pelo lado de fora, descobrindo uma série de restaurantes e pousadinhas, parques e banquinhos, todos com vista para a principal atração da cidade: a mais bem preservada muralha fortificada da Europa.

Logo chegamos em outra pracinha simpática, a Plaza de Itália, onde um antigo palácio abriga um centro (gratuito) de arte contemporânea. Do seu café é possível ver uma das salas de aula, com os alunos desenhando e pintando. Em frente, na Igreja de São Tomé, ficam algumas obras do acervo do Museu Provincial  (ao lado, na mesma praça), incluindo um bonito mosaico romano, que ocupa quase todo o espaço do chão.

Um pouco mais de caminhada e aparece a Basílica de São Vicente, mais uma linda igreja, mais um monumento bem cuidado, como tudo em Ávila. Ainda nem tínhamos entrado na cidade murada em si e já havíamos percebido uma coisa: Ávila sabe tratar bem os seus turistas e investe para fazer você se sentir como se toda a cidade fosse uma pousada de charme, cheia de cantinhos por descobrir.

Igreja de São Vicente

Igreja de São Vicente

Mais uma da Igreja de São Vicente

Mais uma da Igreja de São Vicente

Do lado de dentro da muralha, fica a Catedral. Aliás, a Catedral é parte da muralha, o que faz com que ela seja uma catedral-fortaleza, não só parte do sistema de defesa da cidade, como a parte mais resistente.

Catedral

Catedral

O restaurante Alcaravea, no segundo andar do edifício em frente a Catedral, parecia uma boa opção para o almoço, não fosse o fato de eu ter a sensação de estar entrando num cinzeiro. Esses irritantes fumantes espanhóis… Acabamos provando o Chuletón de Ávila no El Ruedo.  Normalmente não gosto de ser pescada na rua pelos garçons quando estou olhando os restaurantes, mas nesse caso, a simpatia do senhor que veio falar com a gente foi tão grande que não resisti. E não me arrependi. A carne estava deliciosa, no ponto, macia e com o gostinho da brasa.

Caminhando mais um pouquinho, descobrimos o gostoso café/bar da Hosperia Las Cancelas, num pequeno pátio gramado, com música lounge, cerveja gelada e a catedral logo ali atrás. Não vi nada nem do hotel, nem do restaurante. Mas recomendo uma mesinha ao sol naquele cantinho especial.

Cervejinha no pátio charmoso

Cervejinha no pátio charmoso,

Para terminar, uma passadinha na Plaza de La Santa, para ver o convento de Santa Tereza, a Santa que nasceu e viveu na cidade e que, além de fazer alguns milagres, teria inventado as Yemas, aquelas, que segundo o espanhol simpático, são uma perdição.

Nota para as mamães: Ávila é uma grata surpresa para quem anda com carrinho. Muitas rampas e acesso para os possantes de nossos bebês. ;  )

Deixe um comentário

Filed under Espanha

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s